segunda-feira, 26 de setembro de 2016

E AGORA?

Um dia na Comporta em setembro é uma daquelas maravilhas...
Um longo areal de praias desertas e a calma a seguir à loucura frenética do verão.

Em companhia de amigos, foi um longo dia - e que dia!: 
petiscos, almoço, conversas, brindes com sabor a vinho português, mais petiscos e muitas risotas.
Rodeados pela natureza com cheiro de pinheiro.
Hummm, o cheiro a pinheiro!

A Pilar e o Tomás divididos entre as atividades de coletar pinhas, caçar formigas e vários pulos no sofá. 
Aiiii! Os pulos no sofá!

É claro que a mochila - aquela que agora a magricela não larga, aquela que só podia ser cor-de-rosa - voltou cheia, quase a rebentar. Lá só faltavam as ditas formigas. Voltou suja de terra, porque isso também faz parte de ser criança, rabina, traquina. É bom ser criança, ter uma criança, e nunca esquecer o que é ser criança. É bom reviver a observar uma criança, a minha criança ou outra criança.

E a mochila da criança, rabina, traquina, agora suja de terra?

 Atenção que esta mochila não é qualquer UMA. É A MOCHILA da escola! 
As mochilas da escola são escolhidas com tempo, com carinho, com amor, como se fossem únicas, como se fossem as melhores, como se fossem especiais. Esta mochila é assim, tem flamingos cor-de-rosa, é azul de ganga e ficou também castanha. 

E agora, mochila especial com flamingos cor-de-rosa, azul de ganga que também ficou castanha?
 Vai já para a água, tomar banho com espuma de 
sabão. És como Ela, bela, mas resistente por convicção.  

Ps. Esta bela mochila como Ela, a magricela, é da Pêra Doce.










2 comentários:

  1. Descreve tão lindo esse dia maravilhosa com a família que tenho dor de cotovelo para não estar lá .
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. que giro o texto. a mochila é muito querida. x bia

    ResponderEliminar